Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OMG! She's a book reviewer!



Terça-feira, 08.01.13

Eduardo Galeano - O Livro dos Abraços

 
«Quando é verdadeira, quando nasce da necessidade de dizer, a voz humana não encontra quem a detenha. Se lhe negam a boca, ela fala pelas mãos, ou pelos olhos, ou pelos poros, ou por onde for. Porque todos, todos, temos algo a dizer aos outros, alguma coisa, alguma palavra que merece ser celebrada ou perdoada pelos demais.»
E esse é o motivo por que este livro tinha de nascer. Era bom de mais para ficar esquecido numa gaveta, teria de ser celebrado e nunca nos perdoaríamos se não existisse.
 
O Livro dos Abraços é feito de pequenos fragmentos de uma memória cheia. Cheia de afetos, mas igualmente cheia de pesadelos que Galeano insiste em não esquecer e que lhe permitem, com propriedade, enaltecer a vida e a liberdade. Pelo caminho presenteia o leitor com pequenas preciosidades como «aquele apagador de vulcões que o diabo deixou zarolho, por vingança, cuspindo em seu olho» ou «Não consigo dormir. Tenho uma mulher atravessada entre as minhas pálpebras. Se pudesse, dizia-lhe que fosse embora; mas tenho uma mulher atravessada na minha garganta».
 
É também um manifesto político que fará sentido enquanto houver oprimidos e opressores, um grito que expõe as falsas democracias controladas por invisíveis e tiranos mercados financeiros. Galeano, como outros, tem a ditadura literalmente marcada na pele. Tal como o «enfarte agudo de miocárdio» é a «garra da morte no centro do peito», assim a repressão é a mão que em vez de esmagar os subversivos lhes dá força e os empurra contra si.
 
«Tínhamos comido medo ao pequeno-almoço, medo ao almoço e ao jantar, medo; mas não tinham conseguido transformar-nos neles».
E nós agradecemos. Num Mundo que parece ter-se esquecido das pessoas, é bom saber que há autores que nunca o fazem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Inês às 22:03


4 comentários

De Anónimo a 09.01.2013 às 00:23

inês, o blog está a ganhar corpo. mto bem! que a motivação não te falte. força na opinação!...


De Julyana a 10.01.2013 às 03:47

Acho esse livro tão lindo. Ganhei de um amigo há muitos ano e nunca me separei dele. É bom para escolher uma página aleatoriamente e encontrar uma preciosidade.

De Inês a 10.01.2013 às 23:31

Ó, em anónimo não vale :)
Também espero que a motivação não falte mas, em todo o caso, é um blog para crescer sem pressas :)

De Inês a 10.01.2013 às 23:33

É isso mesmo Julyana. São contos que podem ser lidos separadamente. Alguns deles, com meia dúzia de linhas salvam um dia inteiro :)

Comentar post



Eu e as redes sociais

Facebook
Instagram
Goodreads
Twitter

No Youtube



O que ando a ler


goodreads.com

No baú

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Mais sobre mim

foto do autor


Blogs Portugal