Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OMG! She's a book reviewer!



Quinta-feira, 25.07.13

Afonso Cruz - O Cultivo de Flores de Plástico


A intensidade e a diversidade de emoções que este livro provoca faz com que seja difícil falar sobre ele. É, aliás, cada vez mais evidente que devemos desistir da tarefa de tentar rotular Afonso Cruz. Não é só talento, é uma incrível capacidade de surpreender, de nos levar em poucas linhas a passar da introspeção ao riso, da angústia ao reconhecimento de certos padrões sociais que nos envergonham.
A história destes quatro sem-abrigo que partilham as ruas e a miséria está muito mais próxima de nós do que gostamos de acreditar. Faça-se um grande SOS nas avenidas. Ainda assim, talvez não haja quem nos salve, porque não há quem queira ver.


Citações:

«Andamos a regar flores de plástico, é isso que fazemos. Temos coisas que não servem para nada. É tudo plástico. (...) Temos coisas, em vez de tentarmos ser felizes, substituímos a vida por plástico, (...). Trabalhamos para regar uma vida destas.»

«Só papéis, há papéis em todo o lado. Burocracias e tal. Foda-se! Um dia morremos e vemos Deus cara a cara e percebemos: olha, é o Kafka.»

«Couraçado Korzhev: Tenho medo que Deus não veja muito bem, que não tenha janelas e não veja o que se passa cá em baixo. Todos os dias ando uma letra.
(...)
Vejo no mapa que ruas tenho de percorrer até ter, por exemplo, a letra "R". Vejo que itinerário tenho de percorrer para fazer essa letra. Quinhentos metros de uma avenida, viro à direita num largo, volto à avenida principal, apanho uma oblíqua para fazer a perna do "R". Vou escrevendo frases que se vejam do céu, blya, frases gigantes que consigam ler-se, mesmo quando não lemos bem ao perto.
(...)
Lili: O que vais escrever agora?
(...)
Couraçado Korzhev: Hoje é um percurso em "v". Vou escrever "vai-te foder".»

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Inês às 23:22


5 comentários

De Catarina R. a 25.07.2013 às 23:43

Nunca li nada de Afonso Cruz mas já te ouvi elogiar muito este autor. Confesso que as citações que colocaste neste post me convenceram. Fiquei com imensa vontade de o comprar. É pena que seja um livro tão curtinho! Beijos

De Inês a 25.07.2013 às 23:48

Olá Catarina. É uma peça de teatro, muito curtinha, que se lê em menos de meia hora. Se pensarmos que é uma edição limitada, numerada e assinada, acho que conseguimos justificar o preço.
E é uma história muito bonita. Se fores de Lisboa, aconselhava-te a ir ver a peça.

De Catarina R. a 28.07.2013 às 23:10

Já não vou a tempo da peça com muita pena minha mas vou tentar ainda comprar o livro:) Beijos

De Pedro a 31.07.2013 às 10:38

Olá, a peça irá ser reposta durante o mês de DEzembro no Teatro da Trindade. Concordo com tudo o que aqui foi dito :)
Assinado C.Korzhev

De Inês a 02.08.2013 às 00:33

Ótimas notícias! E uma visita ao Porto, não está prevista?

Comentar post



Eu e as redes sociais

Facebook
Instagram
Goodreads
Twitter

No Youtube



O que ando a ler


goodreads.com

No baú

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Mais sobre mim

foto do autor


Blogs Portugal